Instituto Lado a Lado Pela Vida toma posse como membro do Conselho Nacional de Saúde - CNS

Instituto Lado a Lado Pela Vida toma posse como membro do Conselho Nacional de Saúde - CNS

Marlene Oliveira, fundadora e presidente do Instituto Lado a Lado pela Vida, será membro do Conselho Nacional de Saúde (CNS), com mandato para o triênio 2018 - 2021. O CNS é o órgão máximo de representação da sociedade civil junto ao Ministério da Saúde e renovou o quadro de entidades e movimentos sociais que o compõem em cerimônia de posse realizada em 13 de dezembro, em Brasília. As entidades foram escolhidas em eleições realizadas em novembro e representarão os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), profissionais de saúde (incluindo a comunidade científica), prestadores de serviços e entidades empresariais com atividades na área de saúde. O Instituto Lado a Lado pela Vida integra o bloco das Entidades Nacionais de Prestadores de Serviços de Saúde e Entidades Empresariais Nacionais com atividades na área de saúde, junto à FBH - Federação Brasileira de Hospitais e à Unidas - Autogestão em Saúde. 

Instituto Lado a Lado pela Vida, que completou 10 Anos em 2018, nasceu com a missão de levar à população conhecimento de qualidade sobre saúde. A instituição, sem fins lucrativos, surgiu com a missão de conscientizar o cidadão sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata e também sobre a mudança de hábitos para a adoção de um estilo de vida mais saudável, destacando ações de prevenção. No início, as atividades da ONG estavam concentradas em campanhas direcionadas ao câncer de próstata, como por exemplo o Novembro Azul, que foi idealizado e lançado pelo Instituto Lado a Lado pela Vida em 2011. 

Com o passar dos anos, a atuação do LAL foi ampliada ao perceber outras demandas de saúde não menos importantes e criou como, por exemplo, o movimento  Siga Seu Coração/Setembro Vermelho, com foco em doenças cardiovasculares. Outra importante campanha do Instituto é a#RespireAgosto, que alerta para o aumento da incidência de câncer de pulmão em pessoas que nunca fumaram, um dos temas fortemente trabalhado pelo Instituto já há alguns anos.

Atualmente, um dos mais relevantes trabalhos que o Instituto Lado a Lado realiza é o da divulgação da Medicina Personalizada, tendência que faz parte de sua agenda desde 2015 e tem como base as características pessoais de cada indivíduo e a biologia específica de cada tumor. São inúmeros os benefícios da Medicina Personalizada, entre eles a identificação de pacientes de risco e desenvolvimento de estratégias mais eficazes de prevenção e detecção precoce, seleção do tratamento mais adequado com aumento da qualidade de vida e da sobrevida do paciente, minimização de efeitos colaterais, elevação das chances de cura e o grande desafio de impactar a redução dos custos com a saúde, tanto no Sistema Única de Saúde (SUS), como no Sistema Suplementar (planos de saúde).

"Nossa trajetória começou como um sonho e, aos poucos, tornou-se uma realidade repleta de conquistas importantes, como ter assento no Conselho Nacional de Saúde. Ao longo do percurso, além de realizar relevantes campanhas de prevenção e conscientização sobre a saúde, assumimos o compromisso de influenciar àqueles que têm o poder de criar mecanismos e leis para mudar o quadro gravíssimo da saúde que vivemos no Brasil", destaca Marlene Oliveira.  Ela ressalta o papel aglutinador exercido pelo Lado a Lado pela Vida, que busca atrair para o diálogo construtivo os representantes do governo, da sociedade civil e da iniciativa privada. Como exemplo dessa atuação, a empreendedora social destaca a realização da Audiência Pública sobre Medicina Personalizada no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), realizada em 6 de novembro, no Senado Federal. A proposta do debate provocado pelo Instituto foi encaminhada à Comissão de Assuntos Sociais (CAS) pela senadora Ana Amélia (PP-RS) e apoiada pelo senador e também médico Waldemir Moka (MDB-MS).