Marlene Oliveira faz um balanço do sucesso que a campanha idealizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida teve em 2014

Marlene Oliveira faz um balanço do sucesso que a campanha idealizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida teve em 2014

Portal Novembro Azul: Qual a missão do Instituto Lado a Lado pela Vida como idealizador da campanha Novembro Azul? 

Marlene Oliveira: A missão do Instituto Lado a Lado é humanizar a saúde. No Novembro Azul, levantamos questões que fazem parte do dia a dia dos homens, incentivamos a prevenção através da informação e mostramos que o preconceito ou a resistência pode levar a diagnósticos tardios. O nosso objetivo é conscientizá-los de que cuidar da saúde é mais importante do que qualquer tabu ou preconceito. 

Portal Novembro Azul: Como você avalia a campanha em 2014?

Marlene Oliveira: Entramos definitivamente no calendário de campanhas de saúde no Brasil. Em 2014, a campanha atingiu números surpreendentes. Realizamos mais de 1.400 ações em todo o País, com a iluminação de diversos pontos turísticos em todos os estados brasileiros, além da adesão de personalidades e ações em locais de grande circulação de pessoas, como estádios de futebol, corridas de rua e autódromos. Houve também palestras informativas para leigos, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas, além de uma sessão solene no Senado Federal. Até na Times Square, em Nova Iorque, a campanha chegou. 

Portal Novembro Azul: Ainda há dificuldades dos homens conseguirem fazer o exame através do Sistema Público de Saúde. Que frentes o Instituto abriu para que este cenário seja mudado?

Marlene Oliveira: Durante o ano todo, recebemos centenas de e-mails de pessoas relatando a dificuldade de conseguir agendar uma consulta com um especialista. Este ano, estendemos o diálogo com o poder público, para que novas políticas públicas sejam criadas. Fomos até Brasília, conversamos com deputados e senadores e criamos uma agenda anual de reuniões. Em 26/11, recebemos a boa notícia de que agora a Lei 13.045 garante a detecção precoce do câncer de próstata pelo Sistema Único de Saúde. 

A lei obriga que todas as unidades de saúde da rede pública façam o exame de detecção precoce sempre que ele for considerado necessário pelo médico. Certamente, o Novembro Azul teve seu papel incentivador nessa mudança. 

Portal Novembro Azul: Quais são os fatores principais que ainda dificultam ao homem fazer exames anuais?

Marlene Oliveira: O homem ainda é bastante resistente na hora de ir ao médico. Ainda existe um tabu. Outro motivo está relacionado ao fato dele não admitir ficar doente por conta do estereótipo de herói da família. A fragilidade de uma possível doença não o agrada. Por isso, os homens só deixam para ir ao médico quando estão muito incomodados com algum sintoma. Neste processo, as mulheres têm papel fundamental, pois incentivam seus pais, namorados, maridos e filhos a fazerem o check-up anual.   

Portal Novembro Azul: Quais estratégias a campanha utilizou para atingir os homens que geralmente não tem acesso à informação?

Marlene Oliveira: A campanha idealizada pelo Instituto esteve por todo o Brasil. As estratégias envolveram ações de panfletagem, orientação médica em praças, parques e obras de grandes construtoras, participação em eventos e palestras em empresas. Além disso, estivemos fortemente presentes onde o nosso público-alvo se concentra, que é no esporte. Organizamos jogos de futebol de várzea nas periferias, participamos de jogos do Campeonato Brasileiro, além de promover ativações no kartódromo e na Stock Car.  Uma outra estratégia que possibilitou o longo alcance da campanha foi a mídia. Em um mês tivemos mais de duas mil publicações em veículos de comunicação de grande, médio e pequeno alcance, o que possibilitou que a informação chegasse às regiões mais distantes. 

Portal Novembro Azul: Desde o lançamento da campanha, é perceptível a mudança do comportamento masculino em relação à prevenção?

Marlene Oliveira: Percebemos a mudança no retorno que obtemos através de e-mails de homens que tiram suas dúvidas durante as palestras, que pedem orientação sobre o lugar onde podem fazer os exames. Minha satisfação total aconteceu quando um paciente me procurou e agradeceu por estar vivo, pois foi ao médico fazer o exame para detecção do câncer de próstata após ver uma entrevista minha na televisão. Tenho certeza que estamos cumprimos nosso papel. 

Portal Novembro Azul: Qual é a importância das parcerias para a campanha deste ano?

Marlene Oliveira: O Instituto Lado a Lado pela Vida recebeu apoio de várias entidades, empresa, hospitais, clínicas e órgãos públicos. A sociedade  abraçou a campanha, e por isso é fundamental agora engajar a esfera governamental.